04_PONTO_BannerWeb-728x90px.gif

Três adolescentes são apreendidos suspeitos de planejar atentados a escolas de Luziânia

Polícia Civil registrou ainda mensagens ameaçadoras em banheiros. Segundo corporação, investigados teriam como referência massacres de Columbine, Realengo e Suzano.

Mensagem ameaça massacre em escola de Luziânia — Foto: Reprodução/Polícia Civil
Mensagem ameaça massacre em escola de Luziânia — Foto: Reprodução/Polícia Civil

A Polícia Civil apreendeu três adolescentes suspeitos de planejar atentados a escolas de Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. Os investigados teriam como referência massacres como nas escolas de Columbine (que aconteceu nos Estados Unidos), Realengo e Suzano e teriam escrito ameaças nas paredes de banheiros: "Vamos matar geral".


Em nota, a defesa dos adolescentes informou que eles são inocentes, conforme provas obtidas no inquérito policial. O advogado afirmou que a internação dos menores foi revogada e eles respondem ao processo em liberdade (veja nota completa no fim do texto).


Além de cumprir os mandados de internação temporária dos adolescentes, a corporação também cumpriu mandados de busca em cinco endereços, tudo na terça-feira (19). Os policiais não informaram o que foi apreendido, mas divulgaram fotos de um celular e facas.


A Polícia Civil também compartilhou mensagens que seriam de pais preocupados com as ameaças avisando a escola – que também não teve nome divulgado:


"Não sei se já passaram para você sobre um massacre que um aluno quer fazer aí. Fiquei sabendo que ele falou que vai fazer esse massacre na parte da tarde, quando tem mais crianças. [...] Se acontecer algo com minhas filhas, vocês já são culpados", lê-se nas mensagens de rede social.

Imagens de facas e celular divulgadas durante investigação de suspeita de ameaça de massacre a escolas de Luziânia — Foto: Reprodução/Polícia Civil
Imagens de facas e celular divulgadas durante investigação de suspeita de ameaça de massacre a escolas de Luziânia — Foto: Reprodução/Polícia Civil

A corporação divulgou ainda fotos que seriam de recados deixados nas paredes de banheiros:

  • "Vamos matar geral, é o o último aviso"

  • "Vamos matar geral"

  • "Unidos somos um tsunami do caos"


O delegado responsável pelo caso, Victor Avelino, disse que informação sobre a motivação dos estudantes, o que exatamente eles estavam planejando e como ainda estão sendo investigadas pelas delegacias de Apuração de Atos Infracionais (Depai) e de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Luziânia. Segundo a Polícia Civil, os três adolescentes são suspeitos de atos infracionais análogos aos crimes de ameaça, incitação e apologia ao crime.


Nota defesa dos adolescentes

"Após acesso a todas as provas já produzidas no bojo do inquérito policial resta evidenciado a inocência dos investigados de terem concorrido nos delitos que ocorreram nas dependências do colégio CEPI. Importante esclarecer que somente após as duas primeiras ameaças escritas na parede do banheiro escolar as câmeras foram reativadas e do cotejo das provas arrecadadas, como imagens das dependências internas do colégio, restou evidenciado que um dos menores sequer entrou no banheiro onde as ameaças foram escritas, tendo sido indiciado apenas por ter conversado com o adolescente que saiu do banheiro onde foi escrita a terceira ameaça".


Por Vanessa Martins, g1 Goiás

728x90.gif