Prefeito informa que Luziânia está no momento mais delicado de toda pandemia



Neste domingo (21/03), o prefeito de Luziânia, Diego Sorgatto, juntamente com a Secretária de Saúde, Marcelle Melo, se reuniram para avaliarem a atual situação do município diante à pandemia.


Em um vídeo divulgado agora pouco, o prefeito informou com detalhes o quão delicado está a situação de Luziânia no enfrentamento à Covid-19. Abaixo, algumas falas do prefeito Diego Sorgatto.


Momento mais delicado de toda pandemia

“Posso dizer sem sombra de dúvidas, hoje enfrentamos o momento mais delicado de toda pandemia. Quando assumimos a gestão do Hospital Regional do Jardim do Ingá tínhamos 6 leitos, hoje temos 40 leitos e todos estão ocupados com pacientes. No Hospital Regional de Luziânia temos 40 leitos de UTIs e 50 leitos de enfermaria, todos ocupados”, disse.


Falta de oxigênio

“Juntamente com a Dra. Marcelle, passamos esse domingo avaliando os recursos que temos disponíveis para enfrentar esse momento. Tivemos que enviar um caminhão da Prefeitura à Goiânia com cilindros de oxigênio para abastecer, senão iriamos ficar sem no Hospital Regional do Jardim do Ingá, as empresas não conseguem entregar, tivemos que fazer uso de um veículo não apropriado para que não falte oxigênio no Hospital do Ingá”, disse.


Aquisição de novas vacinas

“Momento difícil, estamos vendo todos os recursos acabarem. Assinamos nessa semana dois consórcios para aquisição de vacinas de 100 mil doses cada um , esperamos ter disponíveis o mais breve possível”, falou.


Impossibilidade de aumentar o número de leitos

“Não temos mais capacidade para aumentar os leitos, pois falta oxigênio, as empresas não têm logísticas para entrega”, falou.


Possível lockdown

“Vou levar a nossa situação mais uma vez ao comitê de crise do entorno para que a gente possa restringir ainda mais as medidas e conseguir controlar a transmissibilidade desse vírus maldito”, informou.


Conscientização

“Peço a conscientização de todos para esse momento que estamos vivendo, quando eu entrei aqui nesse hospital, vi jovens de 30 anos quase morrendo por causa de insuficiência respiratória, lutando e esperando a regulamentação por um leito de UTI. Eu acredito que as pessoas que não tem consciência só serão sensibilizados quando uma pessoa da família estiver passando por uma situação como essa”, disse.


Falta de recursos

“Estamos com poucos recursos, no ano passado, veio para Prefeitura quase R$ 40 milhões para combate à pandemia e o que nós vimos foi apenas testes comprados. Assumimos a gestão há poucos mais de dois meses e o que chegou para nós foi apenas R$ 240 mil reais para combate à pandemia”, afirmou.


Gratidão aos profissionais de saúde

“Por fim, finalizo agradecendo todos os profissionais da saúde que estão na linha de frente no combate à pandemia. Agradeço a todos valorosos profissionais da saúde que estão aqui sobrecarregados, fazendo tudo que está ao alcance para zelar das pessoas que estão em nossas unidades”, finalizou.


Assista o vídeo na íntegra:





423 visualizações0 comentário