• Vinícius Abrantes

“Não houve omissão de socorro, não houve fuga, ele não estava embriagado”, afirma defesa de Daniel


Reprodução da internet

Em nota à imprensa, a defesa de Daniel Gonçalves, motorista acusado de ser o responsável pela morte das irmãs Débora Oliveira Miranda, de 29 anos, e Hemily Oliveira Cardoso, de 15 anos, que vendiam picolés pelas ruas de Luziânia, afirma que não houve omissão de socorro após o acidente. Ela foram atropeladas no dia 18 de março, na Avenida Alfredo Nasser, quando atravessavam uma faixa de pedestres, após comprarem uma marmita para almoçar.


Confira a nota:


"A defesa de Daniel Gonçalves, vem por meio desta nota esclarecer, que os fatos que estão sendo divulgados na imprensa e redes sociais não condizem com a verdade, uma vez, que não houve omissão de socorro e não houve fuga. O motorista não estava em alta velocidade e não estava embriagado. É importante deixar claro, que a Investigação ainda está sendo realizada e, que, muitos fatos precisam ser esclarecidos pericialmente, como, a falta de realização da perícia do IML no dia e no local do acidente, bem como, uma perícia nos veículos constantes no momento do acidente e, que, de alguma forma podem ter envolvimento no acidente. A Defesa ainda esclarece, que ninguém pode ser condenado sem o devido processo legal, ampla defesa e o contraditório. Por fim, acreditamos na justiça e na busca da verdade real", afirmou a defesa.
244 visualizações0 comentário