• Vinícius Abrantes

MP/Gaeco deflagra operação para apurar para fraude em negociação de lotes e terrenos em Luziânia

MP/Gaeco deflagra Operação Duplicidade para apurar a existência de associação criminosa para fraude em negociação de lotes e terrenos em Luziânia

Imagem ilustrativa- Reprodução da internet

O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), deflagrou, nesta quinta-feira (5/11) a Operação Duplicidade, que visa apurar a existência de associação criminosa que realiza negócios fraudulentos com lotes e terrenos na cidade de Luziânia, no entorno do Distrito Federal.


Nos últimos três anos, chegaram ao conhecimento do MP diversas notícias de supostos crimes de estelionato e outras falsificações em transferências de lotes e terrenos em Luziânia, tanto por comunicação das vítimas quanto pelo Poder Judiciário.


A partir de então, iniciou-se investigação na qual se apurou a existência de um grupo, composto por proprietários e funcionários de imobiliárias e corretores de imóveis, que verificava a existência de lotes vendidos desde a década de 1970, mas ainda não transferidos nem ocupados pelos seus compradores.


Com essa informação, os integrantes da organização transferiam os imóveis a preços subvalorizados para corretores ou outras pessoas sem atuação na área imobiliária. Em seguida, os lotes eram novamente colocados à venda, a preço de mercado e com prejuízo aos primeiros compradores.


Crimes Os crimes em apuração são de estelionato, falsidade documental e lavagem de dinheiro. Até o momento, levantou-se que mais de 550 lotes podem ter sido transferidos de forma fraudulenta, bem como foram constatadas 77 ocorrências de estelionato.


Sete mandados prisão e busca e apreensão expedidos pela Vara Estadual dos Feitos Relativos a Organização Criminosa e Lavagem de Capitais estão sendo cumpridos nas cidades de Luziânia, Brasília (DF) e Orizona. O Gaeco e o e o Centro de Inteligência do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) apoiam a ação. O Departamento de Combate à Combate à Corrupção da Polícia Civil do Distrito Federal também fazem  o apoio operacional.


Foi ainda determinado o bloqueio de bens, imóveis e valores até o montante de R$ 12.398.896,00 existentes em nome dos investigados, no que se incluem 17 e 9 imóveis.


(Texto: Gaeco / Edição: Assessoria de Comunicação do MP-GO)

132 visualizações0 comentário

© 2020 por Jornal O Democrático.  Orgulhasamente criado por Funfix Digital.

  • Instagram - Black Circle
  • Facebook Black Round