Hospital Estadual de Luziânia realiza palestra sobre o Setembro Amarelo


Conversar e estar atento aos temas sensíveis são ações que fazem parte do ambiente hospitalar, já que além dos cuidados médicos, é necessária a conscientização sobre possíveis problemas psicológicos. Pensando sempre no bem-estar e saúde mental de seus colaboradores, o Hospital Estadual de Luziânia (HEL) promoveu o encontro Setembro Amarelo – Valorização da vida com o apoio da diocese de Luziânia.


A ação aconteceu na recepção principal do hospital e foi realizada pelo Padre Severino, da paróquia Nossa Senhora Aparecida, juntamente de membros da diretoria do HEL. Acompanhado por dezenas de profissionais, o pároco alertou sobre o crescimento de casos de suicídio, que sobe entre 6 a 7% por ano.


“Não vamos baixar a guarda, todos nós vivenciamos momentos ruins em nossas vidas. É uma doença que precisa ser curada. A beleza do mês de setembro é a possibilidade de trabalhar com a prevenção, que começa com algo muito simples que é conversar”, explica Padre Severino.


O evento também foi acompanhado pelo diretor jurídico do IMED, Paulo Leme, que salientou que o Hospital Estadual de Luziânia se adiantou em falar sobre o assunto devido a importância do mesmo. “Em alguns momentos em nossas vidas, deixamos de falar sobre nossos sentimentos, de desabafar. Isso nos torna insensíveis. É o primeiro passo para nossa vida ficar sem sentido”, alertou ao ressaltar a importância de se falar sobre os sentimentos com pessoas de confiança e profissionais de saúde.


Ao final da palestra, em um gesto de amizade os colaboradores do HEL que são colegas de trabalho, e se consideram como parte da família que luta pra salvar vida, manifestaram o desejo de escutarem uns aos outros e se ajudarem mutuamente.

“Temos que cuidar de nossos amigos e familiares, mas além de tudo, precisamos nos cuidar também. Então vamos perguntar mais, oferecer ajuda, que dessa forma conseguiremos salvar mais vidas”, afirmou o diretor do HEL, Francisco Amud.


Setembro Amarelo


A campanha Setembro Amarelo, criada para valorizar o cuidado com a saúde mental, é voltada para informar as pessoas sobre o suicídio, um tema delicado. No Brasil, a ação teve início em 2015 por iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). Segundo a Organização Pan-americana de Saúde (OPAS), o suicídio é a segunda maior causa de mortes entre jovens de 15 a 29 anos. Durante todo o mês, ação são realizadas com o intuito de sensibilizar a população para possíveis sintomas e para os cuidados com a saúde mental.

26 visualizações0 comentário