Coordenador médico do HRL alerta para importância da vacina contra o coronavírus

Em Luziânia, profissionais de saúde e idosos em asilos estão recebendo a segunda dose



O PNI (Plano Nacional de Imunização) está em vigor desde o início de 2021 e no documento há detalhes de como a população deve se preparar para a receber a vacina, mas há muitas dúvidas sobre a eficácia das mesmas.


O cirurgião Reyner A. Stival, coordenador médico do Hospital Regional de Luziânia, esclarece que o primeiro grupo de vacinados na cidade foi o de profissionais da saúde e idosos que vivem em instituições de longa permanência, que agora já estão recebendo a segunda dose.


“A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e o fabricante da vacina recomendam que a segunda dose seja tomada entre duas e quatro semanas, após a primeira dose. Esse intervalo é necessário para garantir uma alta imunização”, diz Stival.

A recomendação do intervalo também está no documento do PNI, que explica a necessidade de o corpo receber estímulos imunológicos causados pela vacina em um intervalo de tempo apropriado. Esse estímulo garante a criação de anticorpos suficientes para combater uma possível infecção futura.


“Cada organismo reage de uma forma, mas a imunização passa a ser garantida a partir da segunda semana após tomar a segunda dose”, complementa Styval.

Por fim, o médico explica que a população deve fazer um esforço extra mesmo depois de receber a vacina. Neste primeiro momento, apenas grupos prioritários estão recebendo a imunização, o que não permite que as pessoas possam voltar aos hábitos normais de antes da pandemia.


“Todas as recomendações devem continuar sendo respeitadas. A higienização de objetos, distanciamento social, uso da máscara e do álcool em gel precisam sendo utilizadas, pois ajuda a prevenir e diminuir a transmissão do vírus. Até que a maioria da população seja vacinada, essas medidas devem ser seguidas com vigor para que a transmissão do vírus seja diminuída”, afirmou.


O Hospital Regional de Luziânia não é responsável pela aplicação da vacina na cidade. Todos devem se informar nas redes oficiais da Prefeitura Municipal de Luziânia e da Secretária Municipal de Saúde para saber a sua vez de se imunizar.


SOBRE HRL

O Hospital Regional de Luziânia (HRL) começou a receber os primeiros pacientes com sintomas de Covid-19 no dia 20 de maio de 2020. Vieram transferidos pela central estadual de regulação de vagas do Estado de Goiás. Os leitos são ocupados gradualmente, a partir da avaliação diária e conjunta da direção com a Secretaria Estadual de Saúde. Estadualizado, após passar oito anos em obras, o HRL foi o primeiro hospital do entorno do Distrito Federal dedicado a tratar pacientes com sintomas respiratórios agudos causados pelo novo coronavírus. Cerca de 1,2 milhão de pessoas, que moram na região, são beneficiadas pelo Hospital Regional de Luziânia.

23 visualizações0 comentário