Comerciantes do Jardim do Ingá e Luziânia reclamam de alta nos preços

Pequenos negócios são os mais afetados; escassez de matéria-prima faz preços subirem em todo país

A pandemia de coronavírus trouxe e continua trazendo grandes impactos para o mundo todo. No Brasil não seria diferente, além dos óbitos, ela também afetou o sistema econômico do país. Segundo estudos, as pequenas empresas do comércio são as que mais sofreram com a crise provocada pela pandemia de coronavírus. E o pior: o ritmo de recuperação tem sido fraco.


Em conversa com alguns comerciantes da região, principalmente do distrito do Jardim do Ingá, foi possível perceber que a situação não está fácil. Conversei com proprietários de lanchonetes, hamburguerias e pizzarias, muitos reclamam de altas recorrentes em diversos produtos que na maioria dos casos são justamente o principal insumo do negócio, a exemplo das carnes, queijos e embalagens.


A alta nos produtos e em alguns casos até mesmo a falta da matéria-prima, tem obrigado muitos comerciantes a reajustar os valores dos produtos vendidos. Em conversa com um proprietário de pizzaria, ele informou que o preço da muçarela, principal insumo para convecção das pizzas, aumentou drasticamente. “No início do ano pagávamos no quilo aproximadamente 16 reais, hoje estamos pagando por volta de 31 reais. Infelizmente fui obrigado a reajustar o cardápio diversas vezes esse ano”, disse.


Quem também é afetado é o consumidor final, que nem sempre compreende como funciona a precificação dos produtos e acaba tendo surpresas com o aumento no ato da compra.

351 visualizações0 comentário