• Vinícius Abrantes

Candidatos a vereador estreantes foram “pedras nos sapatos” de candidatos tradicionais

Novatos na disputa por vaga no legislativo foram um dos entraves para vitória de candidatos tradicionais


Muitos acreditavam que com ausência de candidatos ao legislativo como Diretora Ana Lúcia, Zé Maria, Eliel Junior, Valdirene Tavares, Murilo Roriz, entre outros, a disputa para os candidatos tradicionais seria mais tranquila. Isso por ter mais votos disponíveis na praça. Um grande engano, os novatos chegaram e passaram a ser um dos principais empecilhos para a vitória dos mais experientes.


Muitos candidatos de primeira viagem conquistaram votações expressivas, a exemplo de Dr. Diogo (Podemos) que obteve os expressivos 574 votos, professor Wendell Che (MDB) com 441 votos, entre outros que conquistaram votações similares. Embora estes não tenham sido eleitos, eles conseguiram puxar votos de candidatos com maior experiência em disputas eleitorais, impedindo-os de conquistarem uma provável vitória.


Vou usar apenas um exemplo concreto que os novatos foram entraves para reeleição ou eleição de candidatos mais experientes. É o caso do bairro Jardim Ipê, onde o professor Hildo Aniceto era o mais cotado a ser reeleito e obteve apenas 585 votos. Teve como concorrentes diretos os estreantes, Dr. Diogo (Podemos) com 574 votos, Ronaldo Tucano (PP) com 320 votos e Ítala Cristina (PP) com 272 votos, que no total somaram 1.166 votos.

1,723 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

© 2020 por Jornal O Democrático.  Orgulhasamente criado por Funfix Digital.

  • Instagram - Black Circle
  • Facebook Black Round